Embora reconhecendo que nem todos são ou se sentem orientados pelo Evangelho de Jesus, não consigo pensar no Bem sem pensar n’Ele. Afinal tenho em sua vida e em suas palavras todo um embasamento para ser melhor a cada dia, ainda mesmo quando falho e tropeço em minhas próprias pernas.

E é lendo e meditando sobre o Evangelho que sou levado a reconhecer que em momento algum Ele fez qualquer destaque que pudesse enobrecer qualquer pessoa, grupo, casta ou nação pelo simples fato de se isolar ou de se sentir melhor do que o outro. Ninguém é mais ou menos puro por se dizer seguidor dessa ou daquela outra religião.

E isso é tão fácil de se perceber…

Certo dia uma professora trouxe um de seus alunos à presença de um grupo de pessoas que visitava a escola e disse, com alegria no olhar:

- Este é um dos melhores alunos que tenho.

Alguém daquele grupo olhou para o pequeno e perguntou:

- Quanto é 7 x 8?

O menino ficou espantado e demonstrou nem ao menos ter entendido a pergunta.

Seria aquela criança estúpida por não saber dessa multiplicação, ou estaria exorbitando o perguntador, já que ele era também um professor, mas nem assim identificara que ali estava um pequeno ser que participava de suas primeiras aulas de alfabetização e não um aluno de classe mais avançada?

O melhor aluno não é necessariamente o que sabe mais, assim como a melhor religião não é aquela que tem mais adeptos. Ambos são melhores quando vivem em equilibrio e em harmonia com o que são, sem comprometerem os outros, sem perturbarem negativamente a vida alheia.

A grande religião é aquela que mais transforma o ser em pessoa nobre de caráter e justiça, amor e perseverança na retidão moral, que luta sem guerrear e vence sem destruir.

O Bem, com “b” maiúsculo, não tem fronteiras; nem a serem destruídas, nem a serem levantadas. O Bem traz em si mesmo o sentido de abraço, envolvimento, aproximação, toque… Como poderia ele, então, servir de hífem, separador, discriminador?

O Bem é elemento chave para qualquer ser humano que pretenda a felicidade, o que também é um ideal pregado por todas as religiões. Está no Bem o elemento básico para a interligação de todas as religiões, de todos os homens, o verdadeiro e grande ecumenismo, quiçá o maior e o mais verdadeiro de todos. 

Portanto, ainda que tivéssemos total certeza de estarmos na melhor e mais elevada posição religiosa, pelo fato desta se fundamentar no Bem, quanto mais certos estivermos, quanto mais superiores formos, mais abertos deveremos estar para dar e receber o bem, em nome do Verdadeiro Bem.

“Fazei ao próximo o que gostarias que te fizessem; amai-vos como eu vos amo; dai de graça o que de graça tens recebido; o que mais ama é o maior dentre todos”… Essas são palavras do Mestre, sempre nos recomendando o maior bem, que é o Amor. E aí reina a convergência de todas as religiões: o bem em ação, o Amor.

Seguramente; não vejo como o Bem não agir na aproximação e na criação de laços de amor entre as pessoas, as sociedades, as religiões, os seres enfim. E se o Bem agrega e congrega é nele que devemos nos mover, pensar, realizar.

Só nos resta decidirmos: sejamos bons! Estejamos a favor do bem e em nome do Bem. 

Autor: Jacob Melo (RN) - Ano 2013

 ------------------------------------------------------------------------
Clique aqui e saiba como colaborar com o Lar Paulo de Tarso
------------------------------------------------------------------------